SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PIRACICABA

Hospital Regional Dra. Zilda Arns comemora 1 ano, com 42 mil atendimentos

20 de março de 2019 • Romualdo Filho

Foi comemorado na manhã desta quarta-feira (20/03) o aniversário de um ano do Hospital Regional de Piracicaba Dra. Zilda Arns, em cerimônia organizada pela Unicamp, gestora da unidade por meio da Fundação da Área da Saúde de Campinas (Fascamp).

A mesa, composta no anfiteatro do HR, contou com a presença do prefeito Barjas Negri, do secretário de Saúde, dr. Pedro Mello, do reitor da Unicamp, Marcelo Knobel, do superintendente do HR, Pedro Pontin, do diretor da DRS-X, Hamilton Bonilha e do assessor da diretoria executiva da saúde da Unicamp, Luis Cláudio Martins. Na ocasião foi lançado o logotipo do HR, fruto de um concurso interno, tendo como ganhador o médico Allan Felipe Lopes.

O Prefeito Barjas Negri recordou que no início do seu primeiro governo sua equipe foi taxada de louca por defender a construção do HR. “Porque há pelo menos trinta anos se pensava na ideia, mas todas as tentativas anteriores haviam fracassado. Mesmo assim seguimos em frente e a proposta prosperou, graças ao emprenho da sociedade Piracicaba. Hoje temo esta bela unidade, construída com recursos do município e do Estado, 100% pública, e que presta um serviço de qualidade a todos os seus usuários”.

Pedro Mello destacou o padrão de qualidade alcançado pelo HR, de 99,14% de aprovação pelos seus usuários: “É quase impossível conseguir isso. Meus Parabéns”. Segundo o secretário, que acompanhou todo o processo de construção da unidade, “quando se lembra da história não se pode deixar de destacar a visão de futuro do nosso prefeito”,, fazendo referência a Barjas Negri. “Um dos fatores que orientaram a iniciativa foi o fato de a região ter, até então, a menor média do Estado na relação número de leitos hospitalares por habitantes. “Com apoio do Estado, do DRS-X, da Câmara de Vereadores e da população local, conseguimos”.

Marcelo Knobel observou o fato de Piracicaba poder contar com centros educacionais e de pesquisas de alto padrão, tanto da Unicamp como da USP. “Com isso, quem leva a melhor é a cidade”, disse. Enfatizou também que a Unicamp está engajada no trabalho de fortalecimento do HR. “É uma questão de recursos financeiros, mas pelos resultados obtidos até aqui temos de entender que vale apena manter o HR. Temos de unir forças para manter esse projeto vivo”.

Com base nos números alcançados até o momento, de 42 mil atendimentos em um ano, sendo 20.505 consultas, 2.715 cirurgias e 18.732 exames, Pedro Pontin apontou ainda outras metas em andamento, como a transformação do HR em um centro de ensino e pesquisa, com estágios para profissionais de saúde e a atuação de médicos residentes. “Muito já se fez e muito há por se fazer. Temos um longo caminho para vencer e venceremos”, concluiu.

‹ voltar