SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PIRACICABA

Piracicaba realiza com sucesso a 9ª Conferência Municipal de Saúde

15 de abril de 2019 • Romualdo Filho

Moisés Taglietta, Gilmar Rotta, Barjas Negri, Pedro Mello e Milton Costa

 

Foi realizada neste final de samana (13 e 14 de abril) a 9ª Conferência Municipal de Saúde. Cerca de 150 pessoas participaram da abertura do evento organizado pela Secretaria Municipal de Saúde e pelo Conselho Municipal de Saúde. Durante os dois dias houve debates sobre propostas apresentadas para melhorar o SUS.

Participaram da abertura oficial o prefeito Barjas Negri, o secretário de Saúde dr. Pedro Mello, o presidente da Câmara de Vereadores, Gilmar Rotta, o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Milton Costa, e o coordenador geral da 9ª Conferência Municipal de Saúde, Moisés Taglietta. Após a abertura, houve uma palestra sobre o tema da conferência – Democracia e Saúde: Saúde como direito, consolidação e financiamento do SUS –, proferida pelo professor Adilson Soares, doutor em saúde pela Unicamp.

O prefeito Barjas Negri falou sobre o diferencial da rede de saúde pública de Piracicaba em relação aos demais municípios do Estado e das conquistas alcançadas nos últimos anos. “Podemos destacar o meu governo como sendo o que mais realizou ações para a melhoria da rede, porque tive mais de um mandato. Mas não podemos esquecer que sua construção é resultado da ação de muitos prefeitos e secretários municipais. Cada qual ao seu tempo deu uma cota de contribuição para que chegássemos onde estamos”, disse.

Barjas Negri destacou também que o fato de Piracicaba ter uma das melhores rede de saúde do país não a isenta de falhas, que precisam ser corrigidas. “Temos falhas e precisamos corrigi-las. Precisamos ter mais agilidade para enfrentarmos os problemas e este é o momento de tratarmos disso. Temos de deixar claro que o nosso olhar nunca se restringiu apenas à prevenção e ao atendimento médico. Investimos pesado na promoção, com a construção de áreas de lazer, academias ao ar livre, campos de futebol. O que é um grande diferencial. São pontos importantes para que a população possa ter um envelhecimento de qualidade. É este olhar macro de sustentabilidade que esperamos ter nesta conferência, com participação madura e capaz de estabelecer novas diretrizes ao aprimoramento da rede”.

Em sintonia com Barjas Negri, o secretário de Saúde Pedro Mello destacou várias conquistas recentes do município, como o Hospital Regional, a Residência Médica, a Faculdade de Medicina, o Hospital Ilumina, a nova UPA Vila Cristina, entre outras. Falou da parceria com os hospitais HFC e Santa Casa e os investimentos municipais no CEON, para tratamento do câncer, que o tornou um núcleo de excelência. “Vivemos uma verdadeira mudança de paradigma, que transforma o município em referência nacional em sáude e polo de formação profissional para o setor, contribuindo para o desenvolvimento regional e nacional”.

Gilmar Rota voltou às conquistas do município e ações públicas que alvancaram a rede pública de saúde para um novo patamar de qualidade, pontuando a participação do Legislativo no processo. “As falhas desta imensa rede precisam ser discutidas aqui. Este é o local apropriado. Não adianta ficar de fora, fazendo críticas apenas, sem colaborar com a discussão e sugestões para as melhorias em um forum apropriado”, observou. Na mesma linha, Milton Costa falou sobre as ações do Conselho Municipal de Saúde, que criou o programa “Quem Usa Cuida”, a fim de envolver a comunidade na solução dos problemas do SUS muncipal.

Gilma Rotta e Antonio Carlos Gonçalves Alves,, o Kaká

 

O cordenador da 9ª Conferência Municipal de Saúde, Moisés Taglietta, chamou atenção para o fato de o evento municipal estar tratando de questões a serem direcionadas aos três entes da federação. “As propostas locais aprovadas serão enviadas ao governo municipal. As estaduais, serão debatidas nas conferências macrorregional (9 de maio, em Campinas) e Estadual. Por fim, as propostas nacionais vão para o debate durante a 16ª Conferência Nacional”.

Gustavo Laposta de Aguiar, Taglieta e Pedro Mello

 

PALESTRA – Adilson Soares (foto acima) recuperou o momento da 8ª Conferência Nacional de Saúde, ocorrida em 1986, quando foram definidos os pilares legais para a consolidação do SUS, como um sistema único, que permitiu o acesso de toda a população ao atendimento público de saúde. “Quem não tinha o atendimento público em saúde passou a ter”, disse. Segundo ele, todos os problemas do SUS são decorrentes do sucesso de sua construção. “O SUS é um sucesso”, enfatizou. No entanto, apontou também o subfinanciamento e o desfinanciamento. “Além de não ter as fontes seguras para se sustentar, o SUS vem também sofrendo com a retirada do pouco de recurso que lhe resta”. Em sua conclusão, destacou os movimentos políticos nacionais que tentam esvaziar o SUS, por meio de PECs que reduzem seu orçamento, e conclamou os participantes da conferência municipal para que “atuem com determinação nesse momonto histórico e façam história, como fizeram hsitória os particiapantes da 8ª Conferência Nacional em 1986”.

‹ voltar