SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PIRACICABA

Piracicaba ultrapassa 50% da população vacinada contra Covid com a 2ª dose ou dose única

21 de setembro de 2021 • Felipe Poleti

A população piracicabana tem vivido dias com melhora nos índices de novos casos, óbitos e ocupação de leitos de UTI em decorrência da Covid-19, um reflexo da vacinação. A Prefeitura de Piracicaba, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), já aplicou mais de 530 mil doses da vacina, sendo 213.126 segundas doses ou doses únicas, chegando à marca de 51,9% da população com o calendário vacinal completo, de acordo com o Vacinômetro do Governo do Estado. Segundo o IBGE, Piracicaba tem 410.275 habitantes.

Em Piracicaba já foram aplicadas 202.399 segundas doses e 10.727 doses únicas. “Já passamos por momentos muito difíceis e desafiadores desde o ano passado, então observar a melhora dos nossos índices é um alívio e isso graças à adesão da população à vacina e ao esforço dos profissionais envolvidos”, afirma o secretário de Saúde, Filemon Silvano.

Entretanto, Filemon pede que a população continue a agendar a 2ª dose, usar máscara e evitar aglomerações. “Precisamos manter os cuidados preventivos porque agora estamos com a variante Delta. Mas se todos fizerem sua parte usando máscara e tomando a vacina, com certeza vamos vencer essa pandemia. Falta pouco”, complementa.

O diretor do Centro de Vigilância em Saúde, Moisés Taglietta, enfatiza que as pessoas busquem o agendamento da 2ª dose, ficando atentas ao intervalo entre as doses e à data escrita no comprovante de vacinação. O intervalo entre a 1ª e 2ª dose da CoronaVac/Butantan é de até 28 dias, já o da AstraZeneca/Oxford/Fiocruz e Pfizer é de 12 semanas.

Esse marco de 50% significa que a gente está a caminho da famosa, que todo mundo comenta, imunização de rebanho. Isso, na verdade, a gente vai atingir com 70%, 75%. Mas já andamos dois terços. Vacinação é o que temos de principal a ser feito. Temos que continuar utilizando os protocolos de distanciamento social, uso de máscara, mas é fundamental que a gente atinja um nível de vacinação para que possa começar a diminuir essa necessidade das outras ações”, explica Taglietta.

A vendedora Maria Caudeira, 47, tomou a 2ª dose da vacina hoje, 21/09, no Ginásio Municipal Waldemar Blatkauskas. Grata, conta que todos em casa também já tomaram a vacina e lembra dos conhecidos que não sobreviveram para esse momento. “A gente tem pessoas próximas que, infelizmente, não tiveram a mesma oportunidade, que perderam a vida, e pessoas muito jovens. Então a gente tem que agradecer a Deus por essa oportunidade”, conta. “Em casa, minhas duas filhas, de 25 e 18 anos, eu e meu esposo já estamos vacinados”, relata.

Cristiane Santos lembra que a vacina tem melhorado os índices da pandemia

Ao tomar a 2ª dose também hoje, o motorista Emerson Douglas Romero torce para que a melhora nos índices continue. “Tomar vacina é sempre bom e agora estamos precisando, para que essa doença não avance mais”, afirma. Já a vendedora Cristiane Santos lembra que é importante confiar na ciência. “Nesse momento, a melhor coisa é confiar na ciência. Nós já tomamos várias vacinas e deu certo e essa será mais uma por esse caminho. E já diminuiu bastante o número de pessoas com o vírus, as mortes. Então isso é importante”, afirma.

Emerson Douglas Romero torce para que a pandemia passe logo

VARIANTE DELTA – Moisés Taglietta afirma que os estudos têm mostrado que as vacinas também são eficazes em casos da variante Delta do coronavírus e enfatiza que, mesmo com a vacina, como essa variante é mais transmissível, é imprescindível usar máscara e manter o distanciamento social. “Embora não exista nenhuma evidência de que ela traga quadros mais graves, ela se espalha com uma velocidade muito maior, então mais pessoas são infectadas a partir de um caso. Se a gente tem alguém vacinado próximo desses casos ou mesmo as pessoas com esses casos estão vacinadas, primeiro que já não demonstra tanta gravidade, mas vacinada a tendência é que essa gravidade diminua mesmo que a pessoa se infecte”, explica.

1ª DOSE – A vacinação com a 1ª dose da vacina contra Covid-19 também continua no município, atendendo aos adolescentes de 12 a 17 anos. Até hoje, a SMS já aplicou 318.123 primeiras doses, de acordo com o Vacinômetro do Governo do Estado de São Paulo, o que representa 77,5% da população.

‹ voltar