SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PIRACICABA

Vacina contra gripe (influenza) está disponível também para crianças, gestantes e puérperas

30 de Abril de 2018 • Romualdo Filho

A partir do dia 02 de maio, quarta-feira, a vacina contra a gripe (influenza) estará disponível para crianças (de 6 meses a menores de 5 anos), gestantes e puérperas (mulheres no período de 45 dias após o parto), além dos profissionais da saúde e pessoas com 60 anos ou mais.

Neste sábado (05/05), três postos volantes, espalhados pela cidade, vão oferecer a vacina ao público-alvo acima:

. Terminal Central: das 8h às 13:30

. Supermercado Jau Serve (bairro São Dimas): das 8h às 13horas

. Supermercado Ideal: das 8h30 às 14 horas

No mesmo dia (05/05), equipes da Vigilância Epidemiológica e Atenção Básica (AB) também estarão visitando, para imunização, pacientes acamados em residências e em algumas instituições de idosos.

A partir do dia 09 de maio pessoas com comorbidades, professores e funcionários das escolas das redes pública e privada, além de pessoas privadas de liberdade, também serão imunizadas.

Dia 12 de maio será o Dia D na zona urbana, com 37 postos fixos e 18 volantes espalhados em pontos estratégicos da cidade. Ao todo, irão trabalhar nesta operação cerca de 240 profissionais da saúde. No dia 19 de maio a vacinação se intensificará na zona rural, com 5 postos fixos, 45 volantes, envolvendo cerca de 65 profissionais.

Ao todo, 68 unidades da Atenção Básica (AB) estão atendendo de segunda a sexta-feira, sendo CRABs (exceto CRAB da Paulista) e UBSs, das 8h às 15 horas e USFs, das 8h às 16 horas. A Campanha Nacional Contra a Gripe (Influenza) começou no dia 23 de abril e vai até 01 de junho.

Público-alvo para a vacinação:

. Crianças de 6 meses a menores de 2 anos de idade (8.118);

. Crianças de 2 anos a menores de 5 anos de idade (13.355);

. Trabalhadores da saúde (12.261);

. Gestantes (4.059);

. Puérperas – até 45 dias após o parto (667);

. Pessoas com 60 anos ou mais de idade (46.223);

. Pessoas com comorbidades (pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais independente da idade, com apresentação de carta médica ou receita);

. Privados de Liberdade (SAP, cadeia e fundação Casa);

. Professores e funcionários das escolas das redes pública e privada;

A vacinação dos grupos prioritários é fundamental como estratégia de prevenção e redução da ocorrência da doença, internações e óbitos. A expectativa da Secretaria de Saúde, seguindo orientações do Ministério da Saúde (MS), é vacinar 76.200 pessoas durante toda a campanha, equivalente a 90% do público-alvo, que totaliza 84.600 pessoas.

Sobre a doença:

A gripe é uma doença que pode matar, principalmente crianças, idosos e doentes crônicos; pode predispor à pneumonia e agravar outras doenças, como enfisema pulmonar.

Para o secretário de Saúde Pedro Mello, a campanha de vacinação contra a gripe é muito importante “para que a população possa se prevenir e evitar maiores complicações com a saúde, preservando assim a saúde de toda a família, principalmente nesse período do ano (outono/inverno) em que o vírus da doença está em maior circulação no país”.

A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos. Após o contato com a superfície recém-contaminada, a pessoa pode levar o agente infeccioso direto à boca, olhos e nariz.

A maioria das pessoas infectada pelo vírus influenza se recupera dentro de uma ou duas semanas, sem a necessidade de tratamento médico. No entanto, nas crianças, gestantes, puérperas, idosos e pessoas com doenças crônicas, a infecção pode levar a formas clinicamente graves, como pneumonia e morte.

Eventos adversos pós-vacinação:

. A vacina influenza sazonal tem um perfil de segurança excelente e é bem tolerada. É constituída por vírus inativados, o que significa que contém somente vírus mortos e não causam a doença. Os processos agudos respiratórios (gripe e resfriado), após a administração da vacina, significam processos coincidentes e não estão relacionados com a vacina.

. Portanto, a vacina não dá gripe

‹ voltar