SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PIRACICABA

Programa Municipal de Combate ao Aedes (PMCA)

22 de Março de 2018 • Administrador

As atividades do Programa Municipal de Combate ao Aedes (PMCA) são: atendimentos de solicitações referentes ao mosquito e criadouros feitas através de 156, ofícios, telefone e e-mail, inclusive solicitações vindas de PSF; notificações a aplicação de multa, tanto para imóveis habitados quanto para desabitados; supervisão das empresas terceirizadas que realizam serviços de controle do Aedes (Helpinsect e Oxitec); realização de arrastões da dengue em bairros e áreas de abrangência de PSF, com acompanhamento do carro de som, onde são retirados materiais inservíveis e criadouros do mosquito com caminhões; realização de mutirões em parceria com a SUCEN aos sábados, onde trabalham agentes de zoonoses e agentes comunitários de saúde orientando a população e retirando criadouros; realização da Sala de Situação mensalmente, onde participam outros departamentos da Prefeitura para discussão de assuntos pertinentes ao controle do Aedes e doenças transmitidas.

O PMCA participa também do Comitê de Antropozoonoses que ocorre mensalmente com o Grupo de Vigilância Epidemiológica (estadual) e Sucen; da Comissão de acumuladores e retirada de materiais sempre que possível; na realização de entrada forçada em imóveis desabitados e abandonados em que o proprietário foi autuado e não deu retorno, cuja atividade retiramos materiais que possam servir de criadouros; vistoria regular nos cemitérios da Saudade e Vila Rezende; agendamento de vistoria juntamente com o proprietário em imóveis desabitados que foram denunciados através do 156; faz palestras educativas em escolas, empresas e outros locais, com explicação e orientação sobre o mosquito, formas de prevenção e doenças transmitidas; atua ainda na capacitação de professores, mestres de obras e outros, quando necessário.

Programa Municipal de Combate ao Aedes (PMCA)
Endereço: Rua dos Mandis, s/nº – Jupiá
Telefone: 3427-3351
Coordenação: Sebastião Amaral Campos (o Tom)
Email: dengue@piracicaba.sp.gov.br

 

O PMCA é responsável pelo monitoramento do Projeto Aedes do Bem, desenvolvido na região central e bairro Cecap, 

Sobre o Projeto Aedes do Bem

 

O que é o Projeto Aedes aegypti do Bem?
O Projeto Aedes aegypti do Bem é uma parceria entre a Oxitec e a Prefeitura de Piracicaba para liberação do mosquito Aedes aegypti do Bem visando combater o mosquito da dengue e da chikungunya.

Por que o Aedes aegypti do Bem é importante?
O Aedes aegypti do Bem é uma ferramenta adicional que visa ajudar a reduzir e manter baixa a quantidade do mosquito transmissor da dengue e da chikungunya.
Mas não se esqueça ! Você também é muito importante para o sucesso do Projeto Aedes aegypti do Bem. Não deixe água parada, feche a caixa d’água, recolha o lixo e converse com os agentes de saúde sobre as formas mais eficazes de combater o mosquito.

Como funciona o Aedes aegypti do Bem?
Aedes aegypti do Bem é um mosquito macho que não pica e não transmite doenças. Ao cruzar com as fêmeas do Aedes aegypti selvagem, os filhotes morrem antes da serem capazes de reproduzir. Com isso, após diversas liberações do Aedes aegypti do Bem, a população de mosquito da dengue e da chikungunya diminui, melhorando a vida das pessoas.

Onde será feita a liberação dos Aedes aegypti do Bem?
Os machos do Aedes aegypti do Bem serão liberados três vezes por semana no CECAP. Esses machos não picam e não transmitem a dengue nem a chikungunya.

Quais locais já foram tratados com o Aedes aegypti do Bem?
No Brasil, bairros nas cidades de Jacobina e Juazeiro, ambas na Bahia, já foram tratados com o Aedes aegypti do Bem. Em todos eles, a redução na quantidade de Aedes aegypti selvagem foi de mais de 90%.

Vídeos correlatos:

Abaixo, relatórios de 2018 sobre soltura do Aedes do Bem e controle dos vetores selvagens no CECAP

Relatório 1

Relatório 2

Relatório 3

Relatório 4

Relatório 5

Abaixo, relatórios de 2018 sobre soltura do Aedes do Bem e controle dos vetores selvagens na Região Central

Relatório 1

Relatório 2

Relatório 3

Relatório 4

Relatório 5

‹ voltar